Menu
RSS


Entrevista: James Franco interpreta Aron Ralston, o alpinista que sobreviveu ‘127 Horas’ imobilizado, mas teve de cortar um braço



“Perdi perto de dez quilos”

Falámos com o apresentador dos Óscares (na madrugada deste Domingo) sobre a experiência radical que o nomeou a Melhor Actor.

Era capaz de imaginar cortar o seu próprio braço, James?

Essa será uma das perguntas que muita gente fará quando vir este filme. E o que o Danny (Boyle, o realizador) parece dizer é que, sim, na realidade todos nós conseguiríamos fazê-lo. 

Como acha que o montanhista Aron Ralston (a personagem verídica que deu origem ao filme) conseguiu resistir para além dos limites? 

Quando ele vai para o Canyon, é como todos. Descobre que o poder da família é o que lhe dá essa força. Quando estamos numa situação destas temos uma incontrolável vontade de sobrevivência. É esse instinto de sobrevivência que nos une. E a ligação aos outros.
 
De que forma decidiu compor a sua personagem? Tentou imitar o Aron ou descobri-la por si?

Passei muito tempo com o Aron antes de começarmos a filmar e ele mostrou-me exactamente como escavou com o canivete, como colocou as cordas e fez a alavanca. E mostrou-me também os vídeos que fez durante o período em que esteve imobilizado. 

Sente algumas semelhanças com o Aron?

Não (risos)... Seja como for, o Danny, que nos conhece bem a ambos, disse que somos semelhantes na inquietude. Temos ambos muitas coisas que gostamos de fazer e gostamos de estar ocupados. 

Que tipo de desafios físicos o Danny lhe impôs para fazer este papel? 

Ele não queria era que eu fizesse um mimetismo de todos os gestos do Aron Ralston, mas que tivesse a minha própria experiência. Achámos ambos que a interpretação seria mais orgânica; viria de dentro e não de fora.

Imagino que tenha feito dieta para perder peso...

Sim, ele quis que eu fizesse uma dieta. Não só porque o Aron era um atleta que estava sempre em forma, mas também porque emagreceu 18 quilos em 5 dias devido à água que perdeu. Na minha dieta de três ou quatro antes da rodagem perdi perto de 10 quilos. 

Como se preparou para as últimas cenas, mais chocantes?

As pessoas que fabricaram a prótese para o braço fizeram-me uma prótese para a boca que fazia com que a minha cara ficasse mais redonda. À medida que o filme progredia usava próteses cada vez menores até não usar nenhuma. 

De que forma este projecto o transformou?

Seguramente, esta foi uma experiência que me transformou e um filme diferente de todos os outros que fiz, pois não tinha qualquer actor com quem contracenar. De certa forma, era como se estivesse a contracenar com o Danny e o director de fotografia. 

Como encara a sua mais que provável nomeação a um Óscar?

Não é algo em que pense. Mas também não posso impedir as pessoas de pensarem nisso. Se vier a acontecer será óptimo, pois significa que a minha prestação foi considerada. No entanto, o que mais me interessou foi a viagem da personagem.

PERFIL

Aos 32 anos, é já um dos actores com futuro mais promissor. Deu nas vistas no telefilme ‘James Dean’ (2001) e logo foi convidado para participar na saga ‘Homem-Aranha’ (2002-2007). Impressionou em ‘Milk’ (2008), divertiu em ‘Alta Pedrada’ e foi competente em ‘Comer Orar Amar’ ‘2010’, como namorado de Julia Roberts. Tem oito projectos confirmados até 2012.


Paulo Portugal, em Londres


Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos