Menu
RSS

 



Björk afirma que foi assediada sexualmente por realizador

A cantora e atriz Björk afirmou através de uma mensagem no Facebook que foi assediada sexualmente por um realizador dinamarquês, o qual depois de ver rejeitadas as suas incursões sexuais decidiu puni-la.

A islandesa, que deu nas vistas no cinema em Dancer in the Dark (2000), começou por dizer que o enorme número de mulheres que acusaram Harvey Weinstein de assédio sexual a inspiraram a falar, e que foi extremamente claro para si quando entrou na koprofissão de atriz que a sua humilhação e papel como «um ser menor sexualmente assediado» era uma norma com o diretor e para a equipa de dezenas de pessoas que o capacitaram e encorajaram: «Percebi que é algo universal que um diretor possa tocar e assediar as suas atrizes à vontade e que a instituição do filme o permita. Quando eu afastei o diretor repetidamente, ele se irritou e castigou-me, criando para a sua equipa uma impressionante rede de ilusão onde eu estava emoldurada como a difícil. Por causa da minha força, da minha grande equipa e porque não tinha nada a perder, pois não tinha ambições no mundo da atuação, afastei-me e recuperei-me em um ano.»

Björk mostra-se depois preocupada com as «outras atrizes que trabalharam com o mesmo homem», mas mostra-se «esperançosa»»: «O diretor estava totalmente ciente desse jogo e estou certo de que o filme que ele fez depois foi baseado nas suas experiências comigo. Eu fui a primeira que lhe fez frente (....)  e na minha opinião, ele teve um relacionamento mais justo e significativo com as suas atrizes depois do meu confronto».

Publicado há 8 horas, o "post" [que pode ser visto abaixo] tem mais de 19 mil interações.



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos