Logo
 Imprimir esta página

Björk volta a acusar Lars Von Trier e enumera situações

Depois de Lars von Trier ter negado ter assediado ou abusado de Björk durantes as filmagens de Dancer in the Dark, a cantora voltou à carga novamente no Facebook, dando mais detalhes sobre o alegado comportamento inadequado do cineasta dinamarquês.

Numa extensa mensagem, a cantora enumerou diversas situações:

« 1) depois de cada take, o diretor corria até mim e envolvia os seus braços à minha volta durante muito tempo na frente de toda a equipa, ou então sozinho, acariciando-me às vezes durante minutos contra a minha vontade.

2) quando, após 2 meses dessa situação, eu disse para ele parar de me tocar, ele explodiu e partiu uma cadeira na frente de todos no set, como se fosse alguém a quem sempre foi permitido acariciar as suas atrizes. Fomos todos enviados para casa [depois do incidente]

3) Durante todo o processo de filmagem, existiram ofertas sexuais ... com descrições gráficas, às vezes com a sua esposa ao nosso lado.

4) Enquanto filmava na Suécia, ele ameaçou subir da varanda do seu quarto para o meu no meio da noite com uma clara intenção sexual, isto enquanto a sua esposa estava no quarto ao lado. Eu escapei para o quarto dos meus amigos. Isso foi o que, finalmente, me despertou para a severidade de tudo e me fez defender o meu espaço.

5) As histórias fabricadas na imprensa, pelo seu produtor, sobre mim como sendo alguém difícil. Isso combina com os métodos e o bullying de Weinstein. Eu nunca comi uma camisa*. Não tenho certeza de que isso seja possível.

6) Eu não me conformei ou concordei em ser assediada sexualmente. Isso foi retratado posteriormente como eu sendo difícil. Se ser difícil é levantar-me contra este comportamento, então eu sou. »

Recorde-se que tudo começou no passado domingo, quando Björk afirmou através de uma mensagem no Facebook que foi assediada sexualmente por um realizador dinamarquês, o qual depois de ver rejeitadas as suas incursões sexuais decidiu puni-la. O nome de Lars Von Trier nunca foi mencionado, mas olhando para a descrição da cantora e cruzando com o número de filmes em que participou, era fácil entender que as palavras estavam direcionadas para o cineasta. 

Quem também comentou as declarações da cantora foi Peter Aalbaek Jensen [mencionado na lista de Bjork], um dos produtores do filme de von Trier e parceiro na sua produtora Zentropa. Em declarações ao jornal Jylannds Posten, Jensen mostrou-se surpreso com as acusações de Björk: «Tanto quanto eu me lembro, fomos nós as vítimas», disse o produtor , acrescentando que na época, Björk tinha mais poder que Lars von Trier, que ele, e que a sua empresa.

* referência ao famoso episódio relatado na imprensa em que se dizia que a cantora tinha comido a própria blusa.



Itens relacionados

Copyright © 1999-2017 C7nema. Todos os direitos reservados/All rights reserved.