Menu
RSS


Nem "Clímax", nem "Custódia Partilhada". França escolhe "A Dor" para os Oscars

O filme La Douleur (A Dor), de Emmanuel Finkiel, é o escolhido por França na corrida ao Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira. A obra - baseada na obra de Marguerite Duras- bateu assim Climax, Jusqu’à la garde (Custódia Partilhada), Mademoiselle de Joncquières e Les Quatre Sœurs - os outro quatro pré-selecionados que tinham sido anunciados durante a semana.

Um comité composto por Alain Terzian (da Academia dos César), Serge Toubiana (Unifrance), Teresa Cremisi (da comissão d'Avance sur recettes), Claire Denis (realizadora), Nicole Garcia (realizadora), Isabelle Madelaine (Produtora) e Thierry Frémaux (Delegado Geral do Festival de Cannes) foi o responsável pela escolha.

 

Protagonizado por Melanie Thierry, que interpreta a jovem Duras e ainda no elenco com Benjamin Magimel, Benjamin Biolay e Grégoire Leprince-Ringuet, La Douleur desenrola-se em junho de 1944, quando a França ainda estava sob ocupação alemã. Aí, Marguerite é uma jovem escritora que concorda com uma série de encontros secretos com o colaborador nazi Rabier. Em troca, Marguerite recebe informações sobre o paradeiro do seu marido, Robert Antelme, um escritor e figura importante da Resistência que foi detido e enviado para o campo de concentração de Dachau. Será longa e dolorosa a espera pelo marido...

Recorde-se que La Douleur sucede a 120 Batimentos por Minuto na escolha francesa para os Oscars. Resta saber se o filme consegue melhor que o seu antecessor, que ficou de fora dos cinco nomeados finais.

 



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos