Menu
RSS

«Their Finest» (Os Heróis da Nação) por Hugo Gomes

  • Publicado em Critica

Em tempos de guerra, os homens deixam as suas casas para combater. Por sua vez as mulheres residem nesses "lares destroçados", as esperadas donas de casa, mulheres de armas que sustentam as respetivas sociedades em declínio. Falamos em plena Segunda Guerra Mundial (1939 - 1945), é certo, onde a profissão de armas era vista como um universo totalmente masculino, e as mulheres ao cumprirem as "obrigações" sociais estabelecidas naqueles tempos negros, contribuíam indiretamente nesse mesmo cenário bélico. Elas cuidavam do património deixado, ou noutros casos, operavam no fabrico de munição (para além do auxilio no sector de enfermagem militar).

Mas estas almas teriam que ser motivadas, e nada melhor que isso do que o Cinema (cumprindo as ideias de Lenin sobre o uso da Sétima Arte como veículo de propaganda ou difusor de uma mensagem), nestes períodos de grande aflição, a indústria virou-se completamente para o sexo feminino, revendo na importância de contar histórias sob esse signo, direta ou indiretamente. Hollywood fazia-o bem, o Reino Unido nem por isso, até porque aqui não vamos comparar indústrias, e muitos menos países e as suas posições na Segunda Grande Guerra. O Reino Unido, sobretudo Londres era constantemente bombardeados por força aérea inimiga. Uma capital reduzida aos escombros, um quotidiano que resistia diariamente para sobreviver e o Cinema que tentaria encontrar o seu propósito entre a população.

Their Finest é esse retrato, o novo trabalho da realizadora Lone Scherfig (Outra Educação) que empesta nesta produção dita BBC um certo olhar feminino e subversiva crítica a uma indústria dominada por um género e consenso. Infelizmente, nada disso alertou o filme a tempo de evitar os tão batidos lugares-comuns da sua sigla, assim como apostar em protagonistas fortes para conduzi-las ao poço do romance "sparkiano" (ou a "pieguice" como diz ritualmente certa personagem). Gemma Arterton é essa vítima, que dificilmente encontra carisma para enfrentar os mais temidos rivais (Sam Claffin e Bill Nighy), o primeiro ambienta o filme na camada pretendida e o segundo aposta com charme o seu personagem (o mais sólido do leque).

Feitas as contas, Their Finest é um ensaio morno que sobretudo criará empatia pela sua meta-história, pelas "farpas", discretas, lançadas pela realizadora à indústria que tanto abraça, e por um leve amor ao cinema, enquanto evento social de carácter humanitário. Mas nada a impediu de se tornar em mais uma gota no oceano. Frankly, my dear, I don't give a damn...

Hugo Gomas

Trailer de «Claire's Camera», um filme de Hong Sang-soo com Isabelle Huppert

O coreano Hong Sang-soo irá fazer a “dobradinha” neste 70º Festival de Cannes com dois filmes integrados na Programação Oficial, recordamos que ainda este ano apresentou On the Beach at Night Alone em Berlim.

Um dos filmes pelo qual se aventurará por terras de Riviera é Claire’s Camera, visto como uma nova colaboração com a atriz francesa Isabelle Huppert, cinco anos depois de Another Country.

Claire’s Camera remete à inesperada amizade de uma professora, Claire (Huppert), com a capacidade de alterar “coisas” através da lente da sua câmara, e de uma representante de vendas (Kim Min-hee) que foi despedida num café em Cannes.

Claire’s Camera será projetado no Fora de Competição. 

«Elon não Acredita na Morte» por Hugo Gomes

  • Publicado em Critica

Sem querer entrar no território do spoiler, até porque o filme dispõe de certa forma um plot twist que dissipa por fim toda a atmosfera de uma prenunciada catástrofe. Elon, a personagem, é um homem sob uma completa face de negação, que após o desaparecimento repentino da sua mulher, decide procurá-la nos mais prováveis recantos da sua existência. Uma busca ao tentar encontrar a sua amada, que gradualmente o faz desencontrar-se de si próprio.

A câmara segue de forma persistente o ator Rômulo Braga nestas suas andanças malparadas. O espectador é uma testemunha invisível, silenciosa e completamente impotente face aos destinos elididos estampados no grande ecrã. Existe aqui neste registo quase existencial, uma busca e ao mesmo tempo uma voluntária perda do nosso protagonista à realidade que se identifica. Assistimos assim à sua corrupção gradual e aos trilhos que contrapõem o óbvio. Tecnicamente, Elon Não Acredita na Morte é um filme desencantado, regendo-se pelas leis do naturalismo quase neorrealista, as tendências de um cinema ficcional que abraça esse realismo com tamanho afinco.

Elon dialoga ainda (quase esteticamente é certo) com um outro filme, desta feita português, São Jorge, de Marcos Martins. Ambos abordam um certo inferno social, um ambiente precário de vestes cinzas e o sorriso como uma miragem lendária. São filmes que falam de tempos negros, pessimistas, condenados à solidão individual (o biótopo perfeito de um decadente bovarismo) e cada um à sua maneira exorcizam essa mesma "negritude". No caso de Elon, o território é bem outro, parece um misticismo herdado dos antepassados amazónicos, dessas lendas que coabitam com a História brasileira. Se não isso, como explicar a cada vez maior recorrência ao sobrenaturalismo como um novo realismo?

Já vimos tal explorar num Aquarius (por exemplo), e sob o signo do Indielisboa, no não conciso Mata-me Por Favor, de Anita Rocha da Silveira. O cinema brasileiro recente tem coligado a esse passado cinematográfico, que por sua vez são as crenças e a eterna fobia ao mundo dos mortos que sujeitam essas mesmas temáticas (por mais reais que sejam). Será um escape, uma alternativa para "sujar" esse quadro de realismo "perfeito"? A verdade é que Elon vence a muitas outras abordagens da chamada "docuficção" por essa hibridez, uma invocação quase "mizoguchiana" desses dois mundos tão desiguais.

 

Hugo Gomes 

Sónia Braga em filme sobre Fátima

Encontra-se a ser produzido um filme sobre os milagres de Fátima, que contará com o protagonismo de Sónia Braga. A atriz brasileira célebre em telenovelas como Gabriela e mais recentemente no aplaudido filme de Kleber Mendonça Filho, Aquarius, irá interpretar Irmã Lúcia, num projecto com produção norte-americana e com procura de financiamento europeu. Poderá encontrar tal no Marché du Film de Cannes.

A produtora Natasha Howes acrescentou ainda que a atriz já havia participado numa pré-filmagens na primeira semana de maio em Lisboa. Ana Moreira (Os Mutantes, Amor Amor) é de momento a única portuguesa confirmada no elenco. 

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos