Menu
RSS

 



“Diamantino” dá pontapé de saída no Curtas Vila do Conde

Diamantino, filme de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, vencedor da 57ª edição da Semana da Crítica do Festival de Cannes, é o filme de abertura da 26ª edição do Curtas Vila do Conde Festival Internacional de Cinema, a 14 de julho.

Integrado na secção Da Curta à Longa, no filme seguimos Diamantino (Carloto Cotta), ícone absoluto do futebol. Ao jogar o jogo mais importante da sua vida, as coisas correm mal e a sua carreira é interrompida. A estrela caída em desgraça busca então significado para a sua vida, mas as coisas não são o que parecem e, mal acompanhado por duas irmãs gémeas que só parecem querer o seu dinheiro, a vida do ingénuo Diamantino começa uma odisseia louca, cruzando-se com a crise migratória, o ressurgir do nacionalismo e o delirante tráfico genético.

A secção Da Curta à Longa apresenta ainda o último filme de Yann Gonzalez, Un couteau dans le coeur (2018), também estreado no Festival de Cannes. Tendo como pano de fundo a indústria pornográfica do fim dos anos 70, em Paris, a longa-metragem narra a história de Anne (Vanessa Paradis), produtora de filmes porno de série B.

Gonzalez estará ainda em destaque através de uma carta branca no certame, materializada numa louca sessão de meia-noite, composta por filmes vanguardistas e algumas raridades, apresentada pelo próprio. Depressive Cop (2016), de Bertrand Mandico; Tout ce dont je me souviens (1969), de Christian Boltanski; The Cat Lady (1969), de Tom Chomont; Dellamorte Dellamorte Dellamore (2000), de David Matarasso; Jungle Island (1967), de Jack Smith; são algumas das escolhas do cineasta.

 

O 26º Curtas Vila do Conde decorre entre 14 e 22 de julho.

 

 



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos