Menu
RSS


«20th Century Women» (Mulheres do Século XX) por André Gonçalves

"It's always about the mother"

Mike Mills nasceu em 1966 em Berkeley, Califórnia. Cresceu com a Guerra do Vietname, o Presidente Nixon, drogas, computadores, aborrecimento. Os seus pais divorciaram-se quando ainda era um miúdo. Sente uma afeção por objetos inanimados e pelas memórias que estes guardam do tempo. Tornou-se um artista multifacetado, que gosta de misturar várias formas de arte numa só, sendo portanto o cinema o território perfeito para as suas criações. Filmou documentários, curtas-metragens e videoclips para artistas como os Air, Moby e Yoko Ono até se estrear nas longas-metragens com "Thumbsucker" aos 39 anos.

Onze anos depois, realizará a sua primeira obra-prima, e o melhor filme norte-americano do seu ano, uma obra que caminha sempre no lado certo da fina linha entre poesia e mantras "new age". Mike adora escrever sobre o passado: seis anos após ter feito "Beginners" sobre o seu pai, fala-nos agora sobre a sua mãe e a sua educação feita por três mulheres a um certo ponto da sua adolescência: 1979. Um ano em que o Presidente Jimmy Carter falava ao povo norte-americano (o seu discurso aqui presente numa cena, mas de facto omnipresente no idealismo que retrata em toda a película, de tal modo que o marketing escolheu precisamente o seu discurso como "narrador" do trailer), mas também o ano em que, do outro lado do Atlântico, vemos os primeiros sinais contrários a este discurso: nomeadamente a ascensão ao poder de Margaret Thatcher como Primeira-Ministra, antevendo Ronald Reagan e toda uma década particularmente difícil para quem estava do lado do humanismo de Carter...  

Estes pedaços de um único ano, narrados a várias vozes (de um conjunto de cinco atores escolhido a dedo), do passado para o futuro e ultimamente no futuro para o futuro mais além que é o nosso presente, arranjam-se como uma coleção audiovisual - um álbum de fotos, um diário, um vídeo, um conjunto de livros lidos na época, e de objetos variados - perdida num baú. É uma obra de uma nostalgia assumida, mas uma nostalgia plenamente ganha na sua desarrumação. Os "flashes" que temos sobre o que nos aconteceu na adolescência não são cenas completas e Mike sabe disso. Ele faz questão de refletir a transiência da vida e a fragmentação das nossas memórias em cenas que achávamos que iriam durar mais e cortam sem grande aviso. 

As pessoas que ele retrata no seu enorme filme são também pedaços de memórias, e portanto, talvez faça sentido que haja aquele truque tão humano de embelezá-las após o luto. Seria Dorothea (Annette Bening, no seu melhor nível), a sua mãe ficcionada, assim tão benevolente? Nunca saberemos, e nem o próprio argumentista e realizador o saberá completamente. A certo ponto, Julie (Elle Fanning), a segunda das "mulheres do século XX", vira-se para o auto-retrato de Mike (Jamie) e diz-nos, em jeito de encerramento temático, que a impressão que ele tem dela é só dele, que ela é apenas real para ele. Mais cedo, Abbey (Greta Gerwig), a terceira das mulheres, pede a William (Billy Crudup) que represente uma personagem na história que quer inventar de como os dois acabaram por estar na mesma cama, com o homem a perguntar: "é mesmo necessário isto?" (uma cena que engenhosamente se cruza com outro "jogo de papéis" do casal de amigos Jamie e Julie). 

Para Mike, sentimos que as suas histórias auto-biográficas são de facto necessárias para o cinema; mesmo que sejam a sua visão deturpada dos factos (também assumida, por sinal, por cenas como as descritas acima), mesmo que o espectador não tenha crescido naquele mundo, nunca tenha andado de skate, nunca tenha escapado de casa para ir a um concerto, ou nunca tenha passado as manhãs a rever as ações da bolsa. A sua ode às figuras femininas que o criaram é de tal modo precisa nos detalhes (visuais e sonoros), e na maneira por vezes contraditória como os seres humanos pensam, que de algum modo as suas memórias "reais apenas para si", refletem-se para o espectador como verdades pessoais. Aguentaria mais horas com estas memórias transientes, e talvez esta seja a única mágoa que resta quando os créditos finais começam a rolar

O melhor: Agarrar todas as potencialidades do cinema (e alguns dos melhores atores) para transformar pedaços de memória únicos num estilo audiovisual personalizado. 

O pior: chegar ao fim quando estávamos investidos em ver no mínimo uma mini-série com estas personagens. Mas é a vida. 

André Gonçalves



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos