Menu
RSS


«Treblinka» por João Miranda

Fantasmas assombram comboios. Antes, as veias de ferro de regimes totalitários, carregando milhões para complexos industriais de morte, agora, assombrados pelos fantasmas destes, nas imagens e nas palavras que vemos e ouvimos. As fábricas de morte adaptam-se e crescem na sua barbaridade, matar não é suficiente, qualquer rasto tem de ser apagado. O fumo e os corpos enchem os céus destas fábricas de produzir morte e miséria. E os comboios continuam a percorrer os mesmo caminhos.

Nas palavras de sobreviventes, se é que alguma vez se sobrevive destes locais, os fantasmas vão ditando um aviso. Um aviso de outros fantasmas, menos inocentes e mais cruéis, que assombram de novo os mesmo locais. De mensagens e promessas esquecidas, feitas sobre os túmulos dos primeiros, e ignoradas com o tempo, na arrogância de que o passado ficou para trás e que não nos pode fazer mal. E os fantasmas continuam a assombrar os comboios, falando dos crimes e dos assassinos que vivem novamente.

A arqueologia e a História não nos podem ajudar agora: saber só não serve. Sentados à beira-mar ignorando a maré que mudou e as vozes dos fantasmas, só a ação agora nos pode salvar, mas entretidos com tudo o que nos dão e com as minúcias do quotidiano ignoramos os fantasmas e os seus comboios. Ignoramos os complexos industriais que, de forma quase ritual, se vão reconstituindo em fragmentos por todo o lado. Ignoramos o fumo que de novo enche o céu. Tréfaut filmou os comboios e os seus fantasmas para nos avisar. As palavras dos sobreviventes enchem o espaço com o horror que se levanta, será que conseguimos ouvir?

 

O melhor: O texto de Chil Rajchman.

O pior: Há imagens cuja artificialidade só serve para distrair.

João Miranda



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos