Menu
RSS

"The Shape of Water" e “The Handmaid’s Tale” são os melhores do ano para produtores norte-americanos

O filme de Guillermo Del Toro, The Shape of Water (A Forma da Água), foi o grande vencedor dos  Producers Guild Awards, um prémio atribuído pela Producers Guild of America (Guilda dos Produtores norte-americanos).

The Shape of Water  sucede assim a La La Land, o vencedor do ano passado. Curiosamente, e apesar de nos últimos 28 anos o vencedor de melhor produção nestes prémios conquistar o Oscar de melhor filme por 19 vezes, o ano de 2017 foi exceção, sendo assim interessante verificar se este ano a distinção atribuída pelos produtores coincide com o prémio principal da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Ainda no Cinema, o documentário Jane e a animação Coco sairam vencedores.

Na TV, The Handmaid’s Tale mantém a tradição recente de conquistar os principais prémios da temporada no que diz respeito a série dramática. Já na comédia, The Marvelous Mrs. Maisel também mostrou mais uma vez a sua força.

Aqui ficam todos os nomeados e vencedores :

Nomeados

Prémio de Produção (Ficção - Cinema)

“The Big Sick”
“Call Me By Your Name”
“Dunkirk”
“Get Out”
“I, Tonya”
“Lady Bird”
“Molly’s Game”
“The Post”
“The Shape Of Water” -> vencedor
“Three Billboards Outside Ebbing, Missouri”
“Wonder Woman”

 

Prémio de Produção (Animação - Cinema)

“The Boss Baby”
“Coco”-> vencedor
“Despicable Me 3”
“Ferdinand”
“The Lego Batman Movie”

Prémio de Produção (Documentário- Cinema)

“Chasing Coral”
“City of Ghosts”
“Cries from Syria”
“Earth: One Amazing Day”
“Jane” -> vencedor
“Joshua: Teenager vs. Superpower”

 

 TV

Prémio David L. Wolper

“Black Mirror” (Temporada 4) -> vencedor
“Fargo” (Temporada 3)
“FEUD: Bette and Joan” (Temporada 1)
“Sherlock: The Lying Detective”
“The Wizard of Lies”

 

 

Prémio Norman Felton (Série de TV - Drama)

“Big Little Lies” (Temporada 1)
“The Crown” (Temporada 2)
“Game of Thrones” (Temporada 7)
“The Handmaid’s Tale” (Temporada 1)-> vencedor
“Stranger Things” (Temporada 2)

 

Prémio Danny Thomas (Série de TV - Comédia)

“Curb Your Enthusiasm” (Temporada 9)
“The Marvelous Mrs. Maisel” (Temporada 1) -> vencedor
“Master of None” (Temporada 2)
“Silicon Valley” (Temporada 4)
“Veep” (Temporada 6)

 

Prémio de Produção (Não Ficção)

“30 for 30” (Temporada 8)
“60 Minutes” (Temporada 50)
“Anthony Bourdain: Parts Unknown” (Temporada 9, Temporada 10)
“Leah Remini: Scientology and the Aftermath” (Temporada 1, Temporada 2) -> vencedor
“Spielberg”

 

Prémio de Produção (Competições na TV)

“The Amazing Race” (Temporada 29)
“American Ninja Warrior” (Temporada 9)
“Lip Sync Battle” (Temporada 3)
“Top Chef” (Temporada 14)
“The Voice” (Temporada 12, Temporada 13) -> vencedor

 

Prémio de Produção (Entretenimento ao vivo)

“Full Frontal with Samantha Bee” (Temporada 2)
“Jimmy Kimmel Live!” (Temporada 15)
“Last Week Tonight with John Oliver” (Temporada 4) -> vencedor
“The Late Show with Stephen Colbert” (Temporada 3)
“Saturday Night Live” (Temporada 43)

 

Prémio de Produção (Programa Desportivo):

“All or Nothing: A Temporada with the Los Angeles Rams” (Temporada 2)
“Hard Knocks: Training Camp with the Tampa Bay Buccaneers” (Temporada 12)
“Real Sports with Bryant Gumbel” (Temporada 23) -> vencedor
“SportsCenter with Scott Van Pelt” (Temporada 3)
“VICE World of Sports” (Temporada 2)

 

Prémio de Produção (Programa Infantil)

“Doc McStuffins” (Temporada 4)
“Nickelodeon Kids’ Choice Awards 2017”
“School of Rock” (Temporada 3)
“Sesame Street” (Temporada 47) -> vencedor
“SpongeBob SquarePants” (Temporada 10, Temporada 11)

Morreu Allison Shearmur, produtora de "Hunger Games" e "Rogue One: A Star Wars Story"

Allison Shearmur, produtora de filmes como Hunger Games, Rogue One: A Star Wars Story e Solo: A Star Wars Story, morreu na sexta-feira passada devido a complicações de saúde derivadas de um cancro no pulmão. Tinha 54 anos.

Antes de se tornar produtora em 2011, Shearmur trabalhou para a Disney, Universal, Paramount e Lionsgate. Cinderela, Orgulho e Preconceito e Guerra, Nerve - Alto Risco e Power Rangers foram alguns dos projetos que supervisionou.

Para além de Solo: A Star Wars StoryShearmur deixa ainda por estrear The One and Only Ivan e Chaos Walking,

Trailer: Danny McBride é o filho de Crocodilo Dundee

Do meio do nada - a imprensa não fazia ideia que havia um projeto assim em desenvolvimento- surgiu online o trailer de Dundee, filme que coloca Danny McBride como filho de Paul Hogan numa sequela de Crocodile Dundee (1986).

Depois do sucesso original e duas sequências pouco conseguidas, uma das franquias mais emblemáticas da Austrália vai revelar a próxima geração de Crocodilo Dundee. Ou será tudo uma piada? 

O certo é que a revista People divulgou os primeiros dados sobre a obra, e em conversa com a publicação, McBride disse que "para ser um verdadeiro crocodilo Dundee, 95% é a roupa e, em seguida, os 5% é não cairmos e ficarmos de pé".

Já Paul Hogan disse à revista que "Crocodile Dundee é um filme que resistiu ao tempo" e que é "uma das realizações que mais se orgulha", mostrando-se "ansioso para apresentar o novo Crocodile Dundee ao mundo e ansioso por compartilhar mais notícias sobre os envolvidos em breve".

O trailer pode ser visto abaixo. Para visitarem o site oficial do filme, cliquem aqui.

Chloe Sevigny apresenta "Lizzie" em Sundance e comenta o caso Woody Allen

Durante uma entrevista com a Variety na sexta-feira à tarde no Festival de Sundance, a atriz Chloe Sevigny mostrou reservas quanto à hipótese de voltar a trabalhar com Woody Allen. 

"Eu tenho a minha própria turbulência interna com a qual estou a lidar para uma decisão", disse a atriz de Melinda e Melinda (2004), acrescentando que "Provavelmente não" voltará a trabalhar com o cineasta.

Sevigny é apenas a última a opinar sobre a hipótese de voltar a trabalhar com Allen. Colin FirthTimothée Chalamet, Ellen Page, Greta GerwigMira Sorvino, Griffin Newman, David Krumholtz e Rebecca Hall e muitos mais vieram a público apoiar as alegações de Dylan Farrow e afirmar que não voltariam a trabalhar com o cineasta nova-iorquino. Allen nega todas as acusações feitas pela filha adotiva.

Em Sundance com Lizzie

Lizzie Borden had an axe. 
She gave her mother 40 whacks. 
When she saw whatshe had done. 
She gave her father 41.

No Festival de Sundance, Sevigny é protagonista de Lizzie, filme onde interpreta o papel de Lizzie Andrew Borden - uma das figuras mais tradicionais e icónicas da cultura popular norte-americana - foi levada a tribunal no final do século XIX pelo duplo homicídio do seu pai, Andrew J. Borden, e da sua madrasta, Abby Borden, mortos na sua casa com recurso a uma arma pesada e afiada no dia 4 de agosto de 1892.

A atriz, que já esteve para desempenhar esse papel numa série de TV que nunca avançou, coproduziu o filme e é acompanhada no elenco por Kristin Stewart no papel da empregada da família Borden que vivia na mansão junto a eles e que se acredita que possa ter tido um relacionamento amoroso com Lizzie. Durante os assassinatos, estas seriam alegadamente as únicas pessoas na casa.

A quimica entre as duas atrizes surgiu de forma natural, segundo Sevigny, que se confessa fã de Stewart: "Existe uma admiração mútua. Acho que ambas nos identificamos com estas personagens marginais, fora da lei".  Quanto a suas cenas de amor no filme, Sevigny riu e respondeu que quem lhe dera que tivessem existido mais.

O filme de Craig William Macneill abre com os assassinatos já executados de forma muito sangrenta, voltando posteriormente atrás, aos seis meses que antecederam as mortes. O ato de matar em si é explicado pela Indiewire como "uma combinação de terror centrada nos corpos [desnudados de Sevigny e Stewart]. Um momento carnal e totalmente chocante".

Quando questionada como se preparou para uma cena tão extenuante e violenta enquanto estava totalmente nua, Sevigny disse: "É um momento realmente carnal e simplesmente pensei que seria realmente cativante. Confiei na contenção de Craig [realizador] e na fotografia de Noah [Greenberg], que me fariam aparecer bem.".

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos