Menu
RSS


Weinstein, um ano depois. Cinco filmes sobre o escândalo

 

Um ano depois de explodir o escândalo em torno de Harvey Weinstein, o mundo do cinema continua abalado, mas uma das vias adotadas para lidar com a situação é execução de alguns filmes em torno do caso, alguns dos quais com nomes bem conhecidos envolvidos na produção e realização, como Brian De Palma, Brad Pitt e David Mamet. Mas vamos começar pelos documentários...

Há pelo menos dois trabalhos dignos de realce, The Reckoning: Hollywood's Worst Kept Secret e Weinstein. O primeiro vem assinado por Barry Avrich, que há oito anos apresentou no Festival de Toronto um documentário sobre o produtor, quando ele estava no auge. Agora, Avrich fala do lado mais negro de Weinstein, tendo já apresentado o filme no Festival Internacional de Documentário Hot Docs do Canadá.

Weinstein vem assinado por Ursula Macfarlane, que dirigiu  Charlie Hebdo: Three Days that shook Paris. Segundo Tom McDonald da BBC, que encomendou o filme, a produção promete minuciosamente contar os detalhes em torno do caso que veio a público nos últimos meses, mas também examinará a história do abuso de poder em Hollywood, em particular após o surgimento do sistema de estúdios: "É um filme que será perguntas difíceis e desafiadoras sobre a cumplicidade, o preço do silêncio e os efeitos corrosivos do poder", afirmou. O filme de 90 minutos contará com testemunhos das atrizes, agentes e produtoras que alegam ter sido vítimas de Weinstein.

Ficções

Um dos projetos avançados é Predator, com o realizador de Carrie, Os Intocáveis e Vestida Para Matar, Brian De Palma (na imagem acima), na liderança. "Estou a escrever um filme sobre esse escândalo, que atualmente estou a discutir com um produtor francês. A minha personagem não será chamada Harvey Weinstein. Mas será um filme de horror, com um agressor sexual, e isso acontecerá na indústria cinematográfica.", afirmou o cineasta há uns meses ao Le Parisien aquando da apresentação na capital francesa do seu primeiro romance e de estar em foco numa retrospectiva na Cinemateca de Paris. Na época, o realizador estava em discussões com Saïd Ben Said, o qual num Tweet publicou uma foto confirmando o projeto do filme e revelando o seu título.

Como no início de 2019 o cineasta vai filmar um drama policial no Uruguai, intitulado Sweet Vengeance, no início de 2019, é de prever que as filmagens deste Predator comecem no verão.

Outro dos projetos em torno do fundador da Miramax e Weinstein Co. tem o dedo de David Mamet (na imagem abaixo), dramaturgo, argumentista e realizador americano (O Prisioneiro Espanhol). Ao promover o seu último livro, Chicago, Mamet afirmou que foi o seu produtor da Broadway, Jeffrey Richards, quem sugeriu que ele escrevesse uma peça sobre o caso. Ao Chicago Tribune ele disse que a peça se ia chamar Bitter Wheat.
Segundo o New York Post, John Malkovich foi abordado para o papel principal. Primeiramente este projeto será encenado em Londres e depois na Broadway, apenas se for bem-sucedida (A última peça de Mamet, China Doll, com Al Pacino, foi um fiasco). Vale a pena recordar que Mamet já abordou na sua carreira a questão do assédio sexual, nomeadamente na sua famosa e controversa peça de 1992, Oleanna. Este trabalho viria a ter uma nova versão na Broadway em 2009, com Bill Pullman e Julia Stiles a subirem ao palco.

Finalmente, há também um projeto na Plan B de Brad Pitt, que em conjunto com a Annapurna Pictures vão produzir um filme dos bastidores da investigação pelos repórteres do New York Times, Jodi Kantor e Megan Twohey. A ideia é seguir a linhagem de filmes como Os Homens do Presidente, que narra a investigação dos jornalistas do Washington Post ao Watergate, ou Spotlight, sobre a investigação do Boston Globe ao abuso sexual na igreja católica.



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos